Bomba: jornal publica casos de proprietários do Corolla com defeito no acelerador; há até relatos de acidentes

12 02 2010

Todos devem se lembrar do ainda recente caso do mega-recall da Toyota envolvendo mais de 7 milhões de veículos em todo o mundo por causa de um defeito no pedal do acelerador. Entre os modelos envolvidos, destaque para o Corolla que, segundo a filial brasileira da montadora, em nota divulgada à imprensa, não teria sido afetado pelo defeito. Mas não é isso que diz uma reportagem publicada pelo jornal Estado de Minas, a qual traz seis relatos de proprietários do sedan que passaram por apuros por causa do pedal travado. Há, inclusive, um registro de acidente com perda total do veículo. Confira a matéria na íntegra logo abaixo.

Daniel Camargos e Sandra Kiefer

A relação entre a Toyota e os consumidores brasileiros é bem diferente da que a empresa tem com os consumidores de outros países. Enquanto nos EUA, Europa e China problemas com o acelerador são suficientes para paralisar produção e fazer o recall de milhões de veículos, no Brasil já existem quatro casos de consumidores que passaram aperto com o carro acelerado, mas a Toyota insiste em dizer que não é caso de chamar os clientes para substituir a peça com problema. Nos quatro casos relatados, a montadora respondeu para os consumidores que o problema é o tapete, que se enroscou com o pedal do acelerador, porém nenhum deles concordou com a versão oficial.

Niarley de Pinho só parou o carro com muita força, mas sentiu cãibra pelo esforço

Fontes da Toyota admitem que analisaram alguns modelos e que o problema do carro no Brasil é motivado pela fixação do tapete. Esse, aliás, foi o motivo do primeiro recall da maior fabricante de automóveis do mundo, que há três meses determinou a troca dos tapetes em 4,2 milhões de carros nos EUA. Porém, isso não foi suficiente e nesta semana outro recall foi anunciado, desta vez envolvendo mais 2,3 milhões de veículos por problemas no acelerador eletrônico (sendo que 1,7 milhão deles já constavam na primeira lista) nos EUA, e logo depois anunciou a suspensão de oito modelos: RAV4, Corolla, Matrix, Avalon, Camry, Highlander, Tundra e Sequoia. Logo depois anunciou o recall de 1,8 milhão de unidades para Europa e 75,5 mil unidades para a China.

Já no Brasil, surgem relatos de pessoas que passaram por situações muito arriscadas com o Corolla. Ontem, o Estado de Minas publicou o relato da médica Maria do Carmo Barros de Melo, que entrou em alta velocidade na Avenida do Contorno, mas que, por sorte, estava vazia. Como o carro é automático, ela conseguiu parar colocando no neutro e depois desligando na chave. O problema foi relatado para a Toyota como sendo do tapete, o que foi contestado por Maria do Carmo. Para agravar a situação e aumentar a sensação de insegurança dos proprietários do Corolla, a Toyota informou que esse foi o primeiro caso, o que não é verdade, já que outros já haviam sido informados ao fabricante.

João Sena já passou aperto três vezes e quer formar um grupo para forçar o recall

Como o caso do médico cirurgião Niarley de Pinho Tavares, que tinha acabado de fazer uma cirurgia e estava indo de Guanhães para Sabinópolis. “Era quase meia-noite, a estrada cheia de curvas fechadas. Como eu nunca tinha tido um carro automático, pensei que o erro fosse meu quando o carro começou a acelerar e o pedal travou. Além disso, o freio endureceu e tive que usar muita força para conseguir apertar o pedal para controlar o carro. Foi quando tive a ideia de colocar no neutro e consegui parar”, relata Niarley. O médico lembra que chegou a ficar com cãibra na perna por causa da força empregada no pedal de freio e a primeira atitude foi chamar um reboque e levar o carro à concessionária. Na revenda Osaka, de Ipatinga, no Vale do Aço, a resposta que obteve foi que a culpa era do tapete, que se enroscou com o acelerador. Niarley não concorda, pois disse que teria percebido depois do ocorrido que a sensação que teve é que o pedal endureceu e nada houve com o tapete. Consultada, a Toyota informou que o carro de Niarley foi inspecionado e que a presilha do tapete estava solta.

No último domingo, o administrador de empresa João Sena, 31 anos, passou sufoco dirigindo o Corolla na estrada, voltando do Rio de Janeiro. “Eu estava a 140 km/h e o acelerador travou. Na hora, eu enfiei o pé por trás do pedal e puxei. A sorte é que já tinha descido a Serra de Petrópolis e estava no retão, na parte boa da rodovia”, conta. Segundo ele, é a terceira vez que ocorre o problema com o carro automático, com apenas 20 mil quilômetros rodados. “Eu já sabia como proceder porque não tinha sido a primeira vez, mas meu coração disparou porque minha mãe estava no carro”, completa.

Sena está disposto a montar um grupo de donos de Corolla irritados com o que ele chama de falta de interesse da montadora japonesa em fazer o recall no Brasil, assim como ocorreu nos Estados Unidos, Europa e China. “Engraçado é que eles mandam fazer o recall por lá e não se preocupam com a vida das pessoas por aqui”, afirma. No ano passado, logo que ocorreu o travamento do acelerador pela primeira vez, João levou o carro imediatamente à concessionária Kawaii, abrindo um protocolo. “Na época, eles disseram que era o tapete. Não dei importância”, afirma Sena, lembrando que o tapete é original da fábrica.

Outro caso é da leitora Daniela Moreira Meira Lima, de Natal (RN), que enviou e-mail: “Em maio de 2009, havia acabado de comprar meu carro e, quando trafegava numa avenida movimentada, o carro disparou, não obedecendo aos meus comandos. Tive sorte, pois no momento eu era a primeira da fila parada no sinal, nem havia pedestres na minha frente. O carro começou a acelerar, eu freava e o freio não pegava. Puxei o freio de mão e a velocidade aumentou. Precisei jogá-lo em cima do canteiro central, depois de quase arrancar o freio de mão. Só aí ele desacelerou, oportunidade que tive para abrir a porta e sair, temendo o pior. Chamei um guincho, que o levou à concessionária. A Toyota do Brasil me ligou demonstrando interesse e preocupação. Depois de dois dias sua área técnica informou-me que o acelerador estava preso pelo tapete, o que não procede, pois tentei puxar a peça com o pé na hora do ocorrido e não obtive êxito”.

PEÇA O fabricante do problemático acelerador eletrônico da Toyota nos EUA é a CTS, com planta no estado de Indiana. Além de fornecer para Toyota, a CTS fornece para o Ford Transit chinês, que também teve a produção suspensa. Além da Ford, a CTS produz para veículos da Honda. De acordo com a Toyota do Brasil, o Corolla, único carro fabricado na planta da marca em Idaiatuba (SP), tem índice de nacionalização de 80%, mas o acelerador eletrônico é fabricado no Brasil, pela japonesa Denso, com sede em Pindamonhangaba (SP).

ORIENTAÇÃO Consultado como cliente, funcionário de uma concessionária Toyota enviou e-mail para a reportagem com a orientação que o gerente passou aos funcionários. No e-mail, uma série de matérias veiculadas em diferentes jornais e a informação: “Se forem questionados por algum cliente, diga que estes recalls não estão válidos no Brasil.” E, se o cliente insistir, oriente-o a entrar no site da Toyota e buscar informações sobre recall”.

MegaRecall – Donos de Corolla assustados

Daniel Camargos

O imenso problema com os carros da Toyota, que se divide em dois recalls pelo mundo (leia quadro abaixo), coloca a vida de milhões de pessoas em risco, mas parece não alertar subsidiária brasileira. Depois de o Estado de Minas divulgar quatro relatos de pessoas que perderam o controle do Corolla, com o acelerador disparando, em situações idênticas às que motivam as ações nos Estados Unidos, Europa e China, a fábrica permanece sem fazer qualquer esclarecimento aos consumidores brasileiros. Aos relatos publicados na última edição do Veículos, soma-se um mais grave, em que o Corolla teve perda total e que os dois airbags chegaram a disparar.

A vítima do Corolla descontrolado foi a bancária Patrícia Correa, que passou um grande apuro em 16 de outubro do ano passado. Ela desceu do carro para abrir o portão da garagem do prédio em que mora, no Bairro Luxemburgo, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, e quando retornou perdeu o controle: “Lembro-me de um barulho de aceleração muito forte. Não conseguia controlar o carro. A garagem do o meu prédio tem dois andares, o G1 e o G2. Se eu fosse para o G1, poderia bater na mureta e cair de um altura de 50m. Desci para o G2 e bati em uma pilastra pequena e somente assim consegui parar”, relata Patrícia.

Imagem do Corolla depois do acidente na garagem do prédio

Patrícia diz que pisou com tanta força no freio que até hoje, meses depois, sente dor no tornozelo. Chegou inclusive a procurar tratamento no Hospital Madre Tereza. À época, Patrícia não procurou a Toyota. Ela conta que conversou com o marido e decidiram apenas acionar o seguro. “Fiquei satisfeita, pois não aconteceu nada mais sério comigo. Mas hoje, vendo essa série de notícias envolvendo problemas no acelerador do Corolla vejo que é importante fazer o alerta, pois pessoas podem morrer”, afirma.

A bancária diz não ser capaz de lembrar se o pedal se prendeu ao tapete ou ficou agarrado. A sensação que ela teve foi a seguinte: “Eu pisava no freio e o carro não parava, além de ouvir o motor em rotação muito alta”. Ela comprou o Corolla em dezembro de 2008, já modelo 2009, uma versão com câmbio automático. O carro teve perda total. O orçamento do conserto foi de R$ 53 mil. Ela ainda não recebeu o pagamento do sinistro, mas comprou outro carro. “Ainda bem que não comprei um Corolla. Se tivesse comprado, não teria coragem de dirigi-lo diante de todas essas notícias”, afirma.

A princípio, a Toyota do Brasil informou que tinha conhecimento apenas de um caso. Porém, quando outras histórias surgiram, o fabricante foi consultado novamente e disse ter acompanhado os casos em que o acelerador agarrou, pois o tapete não estava bem fixado. Em nenhum momento cogitou-se um recall para o mercado nacional. A justificativa é que o fabricante do acelerador eletrônico é a japonesa Denso, que usa um sistema com uma mola, diferentemente do sistema de duas molas da norte-americana CTS.

Solução

No início da semana, a Toyota apresentou a solução para o problema do acelerador que agarra, o que motivou o segundo recall. Uma barra de aço de reforço no acelerador será instalada para tentar solucionar um dos defeitos (ver ilustração). Sobre o problema do tapete já havia sido anunciado o remédio: um mais fino. Até os carros serem equipados com o novo dispositivo, as vendas estão suspensas nos EUA.

Prejuízo

Analistas financeiros avaliam que o impacto do megarrecall nas contas da Toyota é, por enquanto, de US$ 1 bilhão, mas pode ser muito maior, levando-se em conta as ações que a marca terá que implementar para recuperar a imagem. Os oito modelos que tiveram a produção suspensa nos EUA correspondem a 60% da capacidade da fábrica japonesa no mercado americano.

Outras marcas

O Grupo PSA (Peugeot/Citroën) anunciou recall de 97 mil veículos da Peugeot 107 e Citroën C1 na Europa, que são produzidos em uma fábrica da República Tcheca e compartilham componentes com a Toyota, no caso o acelerador eletrônico da CTS. Na unidade também é montado o Toyota Aygo. Além da PSA, a Ford já havia anunciado recall da Transit chinesa pelo mesmo problema.

Entenda o caso

Agosto de 2009

Quatro pessoas morrem quando um Lexus perde o controle nos EUA.

Setembro de 2009

Toyota convoca 3,8 milhões de veículos para substituir o tapete, apontado como responsável por prender o acelerador em diversos modelos da marca.

21 de janeiro

Toyota convoca 2,3 milhões de veículos, dizendo que a causa da aceleração descontrolada também pode ser o pedal que agarra no fundo. Desses, 1,8 milhão já havia sido convocado para a ação do tapete

26 de janeiro

Toyota suspende a venda de oito modelos até encontrar a solução. São eles: Corolla, RAV4, Camry, Matrix, Avalon, Highlander, Tundra e Sequoia.

28 de janeiro

Mais 1,1 milhão de veículos no recall do tapete que agarra.

29 de janeiro

Recall anunciado para 1,8 milhão de veículos na Europa.

31 de janeiro

Toyota apresenta solução para o pedal problemático.

Fonte: Jonal Estado de Minas
Com colaboração do blog Autos Segredos
Por Fillipe Vivas

About these ads

Ações

Informação

34 respostas

13 02 2010
Rodrigo

Rapaz, perigoso isso hein!? Te cuida Toyota…

22 02 2010
Antonio Martins Filho

Também tive um problema, com o acelerador! Por sorte estava colocando o carro na garagem quando o mesmo travou, bati o carro violentamente na parede da sala de minha residência, danifiquei quase que totalmente a frente do carro, abri um buraco na parede….etc…..etc….! Meu prejuizo só não foi maior pq. tenho seguro! Tenho fotos de tudo isso.

23 02 2010
amorim tupy

Pois é ! nos carros da FIAT e da voks o caso é menos pior = se é que pode ser menos pior!
Se os carros da Toyota aceleram sozinhos os da fiat e da voks custunam deixar o acelerador a zero= você aperta , aperta e nada.
Você entra em um cruzamento coloca a marcha aperta o acelerador e nada e nada

24 02 2010
Maria do Carmo

Aconteceu comigo e fui a primeira a relatar o problema ao Jornal “Estado de Minas”. Relatei meu caso como forma de alertar aos outros proprietários de Corolla. Agora resta o stress de dirigir um carro, o qual considero uma bomba relógio: pode disparar a qualquer momento. A Toyota do Brasil diz que é o tapete, mas no meu caso não foi, gostaria que a Toyota se posicionasse quanto aos carros brasileiros! Ao meu ver a falha é eletrônica, fato que relatei à Toyota na época do ocorrido. Na época discuti o caso com um amigo que é engenheiro mecânico. Fiquei com medo de pegar o carro na concessionária, mas fiquei na esperança de que o problema não ocorresse mais, demorei 5 dias para buscar o carro. A situação é indiscritível! Mas só nos EUA é que os consumidores são respeitados. Dia 9 de março às 10 hs haverá uma audiência na Assemblélia Legislativa de Minas Gerais sobre este assunto.

30 03 2010
Adelino Jorge Venâncio Baptista

Boa tarde…o problema do meu Corolla XEI AT 2009 é um pouco diferente dos casos que li nesta reportagem. O meu após a revisão dos 10.000 km passou a apresentar um problema de sensação de acelerador duro, carro não deslancha, principalmente em subidas, parece não ter potência, a 120 Km/h na presença do chefe de oficina de uma autorizada aqui de São Paulo, o mesmo passou de 4ª
para 2ª marcha, como disse a 120 Km/h, passou a ser um carro beberrão, coisa que durante os prmeiros 14 meses de uso era um consumo muitíssimo bom tanto na estrda quanto na cidade, e tanto com Etanol como com Gasolina, e o pior de tudo isso e que vem me preocupando, chegando ao ponto de deixar o carro parado na garagem há mais de 30 dias, é o motor já ter apagado em 2 oportunidades, fazendo o carro parar repentinamente, na segunda vez precisei de socorro mecãnico da minha seguradora e que está devidamente documentado. O carro já passou por 3 concessionárias aqui em São Paulo, pelo menos umas 12 vezes (8 tenho comprovadas) e em uma dessas idas á autorizada, depois de testes com um funcionário da oficina, a TOYOTA autorizou a troca da Transmissão completa do veículo (+ de R$ 17.000,00), só que não resolveu. Para subir, o carro dá a impressão de acelerador duro, e troca de marcha bem fora do normal, chegando a subir o giro a mais de 6.200 RPM´s…quando utilizo o mesmo fazendo cambio manual a reação do mesmo é diferente e para melhor. Resposta da TOYOTA : o nosso engenheiro de campo nos passou que carro do senhor não tem problema e estamos dando por encerrada a reclamação apresentada”, depois disso, em uma autorizada o chefe de oficina entrou em contato com a engenharia da Toyota e de lá veio uma resposta que para mim foi tudo o que não gostaría de escutar ” Esse carro não tem problema e não iremos disponibilizar mais nenhum engenheiro para avaliar o carro”. Chegaram a me dizer que o consumo que eu achava excelente, não existe(16,7 Km/l na estrada a gasolina, gosto de andar bem devagar, hoje esse consumo está entre 10 e 11Km/l) e que o normal é o que tenho hoje…4,3 km/L e 7,5 a 8 Km/l na cidade/estrada com Etanol e 5,5/ 11 na cidade/estrada com gasolina. Para a Toyota isso é o normal desse carro, só que em testes de revistas especializadas, o consumo na cidade com gasolina é de 9,7 Km/l..mas o normal é ser gastão, se isso que o meu carro apresenta é o normal, então o Corolla é uma verdadeira “CARROÇA”, me desculpem os proprietários que estão satisfeitos com o carro, eu estive satisfeitíssimo por 14 meses apenas, mas isso porque no entender da TOYOTA o carro agora é que está OK.
Meus agradecimentos, e infelizmente muito frustrado com o carro que comprei e paguei caro para ser o que que é hoje

30 03 2010
Adelino Jorge Venâncio Baptista

Boa noite…
Como posso me comunicar com outros proprietários de carros TOYOTA COROLLA que venham apresentando problemas…Acho que precisamos reunir a maior quantidade de proprietários para debater essa “bomba” que dirigimos, esse caixão com 4 rodas.

18 04 2010
ronaldo

pessoal nos brasileiros temos que aprender a nao aceitarmso estas coisas.
tinha muito interesse em comprar um corolla,agora so compro quando tiver certeza da seguranç do ,mesmo.
façam todos assim e garanto que ela vai resolver nosso probelma tambem.Se ela nao precisasse do brasileiros nao teria fabrica aqui e nao venderia aqui.vamso exercer nosso dierito de cidadaos.

19 04 2010
Hamilton M. Oliveira

Excelente reportagem investigativa e denunciante sôbre a TOYOTA. Será que vão esperar novos acidentes fatais para que nossas OTIRIDADES tomem medidadas drásticas como fes USA,proibindo a venda dos veiculos TOYOTA, até que se comprove que os fabricados aqui são melhores dos daqueles Países.Se os nossos aceladores são melhores porque não são colocados nos carros de lá? E que história é essa de tapete agarrando, se os proprietários que passaram pór essa situação deixaram claro que não é verdade.
É, eu e meu irmão pretendiamos adquirir Corolla automático, eu um usado e ele o Novo Corolla porém, depois dessa reportagem desistimos.Vamos procurar carro com a velha e eficiente transmisão Hidramática . Tenho um Monza Classic 89 adquirido em 95 que nunca deu problema.
Abraços Ha1000ton.

22 04 2010
Cicero V. Chianca

Sou engenheiro mecânico e conheço bem automóveis. Presenciei no meu condomínio, uma colisão de um Corolla 2009 automático, contra uma coluna. Ainda bem que foi a uma velocidade baixíssima. A proprietária, a qual estava ao volante, não conseguia explicar o que havia acontecido. Ela se conformou com a ideia de que era inexperiente, pois era o primeiro automático dela com apenas 1 mes de uso. O revendedor autorizado abafou o caso, e enviou um instrutor para ensinà-la a manobrar ao entrar em uma vaga. Agora estou entendendo o que aconteceu.

22 04 2010
Cicero V. Chianca

Pretendia adquirir um Corolla zero km. Com estas notícias já desisti. Nos Estados Unidos, um Corolla idêntico custa metade do preço, e no entanto o fabricante tem mais respeito ao comprador.

22 04 2010
Jáder Loé

Até quando esperar?
Leis, regem a segurança?
Homens, lutando sobreviver?
Onde começamos a errar?

Eu sempre perguntei:
Será que compro um fusca ou uma bike.
Eu era feliz com meu fusca, opala, belina, gol, ecosport quase me matou quando travaram as rodas da frente (aconteceu 2x) e na segunda vez deu PT, ia adquirir um corolla seg 2005 automatico mas agora nem pensar.
Mas graças a Deus, estou vivo, e Vamos botar a mão na massa e revindicar nossos direitos. ( Não se esqueça que o vendedor é um trabalhador brasileiro eu axo) rsrsrsrs.

21 09 2010
Jorge Baptista

Bom dia… O pessoal do Jornal ” O ESTADO DE MINAS GERAIS”, entrou em contato comigo, e logo depois a TOYOTA DO BRASIL marcou uma reunião comigo na presença do Eng. Ricardo da Toyota, os Sr. Marcos e Leandro da autorizada SUN NORTH aqui de São Paulo…( reunião essa que eu insistentemente pedi em diversas oportunidades e nada, agora que a imprensa entrou no caso, a reunião já interessou) estou aguardo a proposta feita verbalmente, uma vez que o carro voltou a desligar o motor em mais 2 oportunidades, e eles não conseguem justificar isso, querem que eu leve o carro uma vez mais e o deixe ficar na autorizada para análise…esse carro, como disse anteriormente já entrou pelo menos 12 vezes na autorizada, e nunca me deram bola ao que eu reclamava…agora querem o carro lá novamente para fazer o quê? Meu carro só volta á autorizada para fazer as revisões ou se por alguma ordem judicial. Como expliquei na reunião o problema não é constante e sim intermitente, haja visto que em 27 meses de uso apresentou o defeito em 4 oportunidades…estou aguardando a proposta da TOYOTA por escrito para análise.
Hoje nem viajar com o carro eu viajo mais, quando precisamos sair (eu e a família) vamos no NEW FIT de meu filho, pois temos medo do Corolla, vai que estamos na estarada a 120/130 Km/h e esse motor desliga do nada, como já ocorreu e se vier atrás de mim uma carreta de 30 toneladas, o que acontecerá com todos nós?
Obrigado e fico aguardando a proposta para voltar a me pronunciar.

Jorge Baptista
Ps. Se o pessoal do Jornal ” O ESTADO DE MINAS GERAIS”, puder entrar em contato comigo, por telefone ou por e-mail, fica muito agradecido.

22 09 2010
Jorge Baptista

Boa noite,
Como relatei anteriormente, meu carro foi 12 vezes ás autorizadas Toyota para resolver alguns problemas graves, como em 14.01.2010, a TOYOTA do BRASIL, na pessoa do Engº Valmor, informou que o carro segundo o engº de campo, não tinha problema nenhum, dando a TOYOTA do BRASIL por encerrada minha reclamação. Enviei e-mails para vários orgãos de imprensa relatando o ocorrido com meu carro, isto no final de Fevereiro de 2010, não sei o porquê mas algums e-mails andaram um bom tempo perdidos, e um desses e-mails foi o que enviei para o jornal O ESTADO DE MINAS GERAIS, recentemente me ligou uma pessoa do jornal, e me lembro de ter falado que já havia resolvido o problema pagando por fora, uma vez que a TOYOTA não teve competência para resolver…essa pessoa me disse que assim mesmo iria encaminhar minha reclamação á TOYOTA, e alguns dias depois me ligou a Sra. Adriana pedindo para que eu levasse o carro até uma autorizada aqui de São Paulo, o que evidentemente me recusei. Porquê a recusa? Porque quando o carro apresentava o defeito, uma das minhas pedidas era que chamassem um engº da TOYOTA para que pudessemos verificar, andando em estrada e eu explicasse o que vinha ocorrendo, conforme as diversas OS´s que estão em meu poder. Agora que a imprensa se manisfestou, eles me convidaram para essa ida e também para uma reunião com um engº da fábrica.
depois de alguns minutos de conversa por telefone, concordei, pois seria a grande oportunidade de explicar a eles o problema do carro e a falta de interesse demonstrado pela fábrica em querer se inteirar do problema.
Durante a reunião(17.09.2010), com a presença do engº Ricardo da fábrica, o Srs. Marcos e Leandro da autorizada SUN NORTE, expus todos os problemas que o carro apresentou e que foram parcialmente solucionados indo a uma oficina não credenciada pela TOYOTA. Depois de cerca de 2 horas de conversa, onde eles acabaram não tendo argumentos suficientes para me convecerem, o engº Sr. Ricardo acabou me fazendo uma proposta de troca do carro, eles me davam um carro novo, modelo idêntico ao meu, e eu devolveria o meu para a fábrica. Eu apenas argumentei que se o carro viesse devidamente licenciado e com alguns poucos acessórios que o meu tem, seria uma boa proposta apesar de o COROLLA não me dar confiança. Senti essa proposta como um tipo de “cala a boca e de que eles admitiam ter o caaro realmente algum problema”…mas não decidi imediatamente…ontem dia 21.09.2010, entrei em contato com a fábrica na pessoa da Sra.Adriana, para que a proposta de troca me fosse enviada por escrito…Como já podem imaginar, as coisas já não eram bem assim, o eng. Ricardo, em reunião interna descreveu o teor da reunião comigo, porém não comentou a proposta de troca, então ela (Adriana) precisaria conversar com o Sr. Ricardo e também com a gerência. A resposta veio hoje, e com alguns rodeios na conversa da Sra. Adriana me informou que devido á minha recusa de deixar o carro com eles novamente e por ter levado o carro a uma oficina não credenciada para reprogramar a ECU, a TOYOTA, aí eu a interrompi os argumentos, agradeci e desliguei o telefone.
O que ocorre é o seguinte, a TOYOTA não teve boa vontade e nem competência para solucionar o problema de aceleração, o alto consumo continua apesar de ter melhorado bastante e o motor por vezes apagar como já aconteceu em 4 oportunidades e já havia sido informado isso á autorizada SUN NORTE, e eu havia sugerido a troca da ECU, como resposta foi de que ” A TOYOTA NUNCA TEVE UM PROBLEMA DESSES, PORTANTO NÃO AUTORIZOU A TROCA DA ECU”
Como já anteriormente me haviam dado como resposta ” SEU CARRO NÃO TEM NENHUM PROBLEMA, E A TOYOTA NÃO VAI MAIS DISPONIBILIZAR ENG.º PARA VERIFICAR SEU CARRO” porque deveria eu agora deixar meu carro na mão deles?
Porquê a TOYOTA agora queria uma oportunidade para verificarem o problema? Porque a imprensa levou a eles o problema? Porquê nunca me deram ouvidos e sempre se recusaram a falar comigo quando insistentemente pedi um engº para eu lhe expôr o problema?
Irei colocar o carro em cima de uma plataforma e andar pela cidade de São Paulo, com faixas mostrando o desinteresse, descaso etc…da fábrica TOYOTA e apontando os defeitos do meu carro.
Portanto, senhores, pensem bem antes de comprar um carro TOYOTA COROLLA, se tiverem um problema mais grave, a posição da TOYOTA é essa que acabo de descrever, fora que constantemente se referem ao meu jeito de dirigir…dirigi de um jeito esse carro por 14 meses e depois passei a dirigir totalmente diferente…e agora novamente voltei a dirigir como nos primeiros 14 meses…só rindo…
Abraços

4 03 2011
Luiz Carlos Presta

Pessoal, meu caso foi diferente: o Toyota Corolla de minha mulher ficou com pouquíssimo freio, aos (6.500 kms). A TLine prometeu entregar no máximo em dois dias, mas todo dia é uma desculpa, do tipo: já temos o servofreio e o cilindro, mas a Toyota diz que suas peças estão em diagnóstico ?????? é preciso aguardar, bem enquanto estou digitando estas linhas, o técnico/recepcionista muito educado por sinal, acaba de me ligar dizendo, que houve um engano: o servofreio ainda não foi liberado pela fabrica. Respondi, sinto que vc está num fogo cruzado !!!!!!!!!!!!!!!!! lamento
Luiz

1 05 2011
Fernando Rodrigues

Nunca tive nenhum problema com o meu Corolla! Sempre muito seguro e confiável!

26 06 2011
Gilberto lopes

O meu corolla e um xei 2.0 2010/2011 esta com 14.000km E aconteceu o mesmo com meu filho,
aumentou o giro do motor ,ele pisou no freio e jogou no neutro,mais segundo ele foi dificil de controlar, E tambem nao enroscou o tapete como
a toyota alega nos comentarios anteriores.
Amanha vou levar na concessionaria para verificar o que ocorreu.mais ja estou pensando em desfazer do mesmo.

Gilberto lopes.

10 07 2011
Sidnei Lima

Relato de um gravissimo acidente.
Relato de acidente acontecido comigo. Estavamos indo eu, minha esposa e um casal de amigos até divinopolis mg, em torno de 870 km de assis sp comemorar o aniversario de meu neto, Que ocorreu no dia 01 de julho, mas por problemas profissionais só foi possi…vel a viagem no dia 08/07, Saimos de assis as 05:00 hs da manhã, passamos em marilia e apanhamos o casal de amigos nossos. Saimos de Marilia as 06:15 hs, Paramos durante a viagem por duas vezes até chegarmos no local onde ocorreu o terrivel acidente, As 10:33 horas em uma curva na rodovia mg 050 km 369 + 700 mts municipio de são sebastião do paraiso mg inesperada mente o carro fez um leve movimento para o acostamento, e derrepente (inesperadamete). mudou o percurso para o outro lado da rodovia, atravessou a mesma eu não conseguindo fazelo parar e nem mudar o seu curso, ou seja acertar o mesmo na direção correta. Caimos (capotamos 04 vezes) em uma distancia de 40 metros de ribançeira, O veiculo parou com as quatros rodas para cima, Tivemos uma dificuldade enorme para sair do mesmo, visto que as portas não abria. Meu amigo com os pés quebrou o vidro da porta traseira do passageiro e saimos rapido visto que havia grande possibilidade de fogo, pois o tanque esta totalmente cheio e havia muito capim seco. Conseguimos sair, e em seguida um caminhoneiro ajudou a todos nós subirmos o barranco, logo chegou o resgate e levou a esposa do nosso amigo até o hospital, pois ela reclamava de muitas dores abdominais. As 14:00 hs com ajuda de dois guinchos conseguiram tirar o carro do buraco, Acionei a seguradora que foi providenciado um taxi, o qual nos trouxe até divinopolis, visto que era nosso destino final. Chegamos na mencionada cidade por volta das 21:00hs. Tomamos um banho, pois havia terra e capim seco por toda a parte do corpo, e fomos a um shopping comemorar e brindar o nosso 2º aniversario (nascemos novamente). O carro ou seja, O que era um carro um corola prata 2010 com 28.000km ficou parecendo um celta pelo tamanho ou um corola retch. Caso alguém queira ver o que sobrou, o veiculo esta na oficina do TANOEIRO em Assis sp para ser periciado, e pelo estado, perca total. Após o acidente viemos a saber (relato da policia rodoviaria federal, e vizinhos do local) que no local o qual me acidentei, houve 09 acidentes recentemente, com 05 vitimas fatais. Só para noção do lugar, uma curva sem praticamente acostamento sem proteção lateral e ribançeira dos dois lados da pista com uma profundidade enorme, isto é, alguns trechos da rodovias de minas gerais. Depois do susto só relato para passar aos amigos, e dizer que vaso ruim não quebra facil. kkk. Sidnei Lima.Ver mais
Por: Sidnei Lima
.18 9764 7367 97647396 33241767 3325 1733

10 07 2011
10 07 2011
10 07 2011
10 07 2011
10 07 2011
10 07 2011
10 07 2011
Jorge Baptista

Sr. Sidnei, boa noite…a resposta da Toyota conserteza vai ser assim: “o problema não é do carro”. Se não é do carro deduza de quem é? Rindo para não chorar…pois a Toyota do Brasil jamais irá admitir problemas em seus carros…o meu fez 3 anos no passado dia 27.06.2011, e está encostado na garagem, ando raramente com ele, pois tenho medo de dirigi-lo devido ao relado que já deixei neste post, o carro apaga motor, e olhe que é automático…mas a Toyota insiste em dizer que o carro não tem nada…o problema é meu…
Abraços e pense melhor…compre um carro e não um Corolla, não que o carro seja ruim, mas o pós venda, inexiste.
Jorge Baptista

13 09 2011
Joana Gonçalves

Jorge, foi o que a montadora alegou no meu caso. No dia 17 de agosto 2011, meu Corolla (2009/2010 – 21 mil km) acelerou inesperadamente, o motor fez um barulho infernal e o freio emdureceu. Estava de ré, puxei o freio de mão duas vezes e o carro só parou ao bater na mureta de entrada do meu prédio. A Toyota fez a vistoria e disse não haver defeito no carro. Alegou que o freio não foi acionado e apresentou-me um gráfico apontando velocidade de 14 km por hora no momento do acidente! Questionei, então, o porquê do barulho ensurdecedor do motor, e ouvi do técnico da Toyota que “barulho é algo subjetivo”. E a 14 km/h não conseguiri subir na guia e bater como bati. Troquei o meu tapete e mesmo assim tive problemas, que só não foi maior por Deus pq era uma rua supermovimentada. Agora sou eu contra a montadora. Não tenho como provar que pisei no freio, que estava duro. Eles alegam que se eu tivesse pisado no freio, o sensor acusaria, mas quem garante que o sensor estava funcionando? O freio, decididamente, não estava! A montadora está irredutível, quem sabe quando acontecer acidentes com vítimas ela se mexa.

13 09 2011
sidnei Lima

É joana, é sempre assim, Fazem de tudo para vender. Apesar de o carro ser muito bom, tem defeitos. E quando vc precisa soluciona-los encontramos muita dificuldades. Foi assim comigo, esta infelizmente sendo com vc, e vai continuar sendo.
Quando o perito periciou o meu (o que sobrou) do carro me disse: seu carro não tem nada. os freios estão funcionando perfeitamente, fiquei horrorizado porque que o maldito não funcionou na estrada, assim talves eu não tivesse capotado. Ele apresenta defeito e depois se corrige?.
Temos que nos unir, para que a toyota faça algo para que não aconteça o pior. Sidnei Lima 9764 7367 (18)

13 09 2011
Joana Gonçalves

Sidney, estou criando o Movimento TOYOTA NUNCA MAIS! joanafg@uol.com.br – Precisamos nos unir e forçar a montadora a fazer um recall das “armas” que estão circulando por aí. Antes tinham a desculpa do tapete. Agora, têm a desculpa que os proprietários não sabem dirigir. Que tal se a montadora fizesse testes de direção com os interessados em comprar seus carros? E só os vendesse a quem realmente apresentasse condições e habilidade de parar um carro automático em alta velocidade e com o freio duro!!! 11 9405 2012

21 01 2012
Fábio Bonfim

Tenho um Corolla XEI – 2011/2012, a borracha da palheta do pára-brisa soltou e as laminas de aço riscaram o vidro.
Acionei a assistência 24hs da Toyota, a mesma enviou guincho para levar o veículo para a concessionária, mas no momento de colocar o veículo na plataforma, o mesmo foi parar em cima do redutor do guincho, vindo a quebrar o pára-choque.
Este incidente a Toyota se responsabilizou.
Mas com relação ao pára-brisa, o mecânico da concessionária enviou para o departamento responsável comunica que NÃO HAVIA A INFLUENCIA DE AGENTE EXTERNO. O engenheiro da Toyota em resposta alegou apenas com base em fotos QUE HOUVE A INFLUENCIA DE AGENTE EXTERNO.
E como todos sabem a Toyota não assumiu a responsabilidade da garantia que tanto prega.
Para um veículo com 05 meses de uso mandei substituir o pára-brisa, tive que suportar a despesa de R$ 1.200,00, porém a medida judicial está preste a ser tomada. Vamos ver o que vai dar.
Passarei os novos capítulos. Aguardem……
FHOB

27 06 2012
Guteres

Ajudem tenho o mesmo problema, o acelerador prende e no terceiro mundo onde estou, não tem mecânicos com formação suficiente para fazer face a problemas electrónicos. Tem sido uma imensa dor de cabeça a prisão e acelerações bruscas.

27 06 2012
Joana Gonçalves

Guteres, Muito cuidado. O meu acelerou repentinamente algumas vezes mas não dei muita importância. Até que um dia aconteceu o acidente e eu estava de ré. Só parei na porta de ferro do meu prédio. Toyota garante que eu estava a 14 km (mas ainda assim consegui subir na calçada, destruir o porta-malas e a porta). Estou procurando gente que queira entrar na justiça comigo. joanafg@uol.com.br – 11-9405-2012. temos que nos unir.

9 10 2012
paulo

kkkkkkk ainda falam mal do cruze isso e uma carroca

9 10 2012
Joana Gonçalves

É, Paulo, meu acidente foi extremamente grave – tive muita sorte! E o corolla continua fazendo vítimas…

18 08 2013
Gislene

Tenho um caso com um Corola na justiça/DF e a vocês que relataram casos de aceleração espontanea verifiquei que coincidentemente ou não?? sempre se deu em vias de subida e depois de longa descida, Procede ?
( gislene7@yahoo.com.br) Já estive no Ministério da Justiça sobre esse caso da Toyota

19 08 2013
Joana Gonçalves

Gislene, a montadora conta com uma mídia cúmplice e um governo frouxo. Tive um problema sério que quase me custou a vida – a minha e a de terceiros. Queria que uníssemos por essa causa: fazer com que a montadora assuma seu erro e evite novos acidentes – e mortes. Vou lhe mandar um e-mail, mas anote o meu joanafsg@hotmail.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 50 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: